Luisa chegou por VBAC! {Fotografia documental de Nascimento}

Event held in 29/05/2017 - Photos by meladm

Depois de anos fotografando nascimentos, preciso confessar: esse foi o primeiro parto natural, vaginal, que fotografei! Os partos normais que fotografei sempre acabaram evoluindo para cesáreas. Às vezes por conta do curso natural do parto, mesmo, complicações, bebê que sentou, gestante que desistiu, enfim. Não cabe aqui a discussão sobre as razões pelas quais os médicos decidem pela cesárea. Mas sim, falar sobre a beleza do parto natural, normal, já nem sei mais as nomenclaturas.

Parto vaginal pós cesárea (VBAC)

Antes da bebê Luisa chegar, o casal já tinha passado por um parto difícil durante a cesárea do primeiro filho, o Gabriel, que nasceu prematuro. Dessa vez, como muitas das mães de segunda viagem, a Alcione, mãe da Luisa e Gabriel, queria muito conseguir o tal VBAC, o vaginal birth post cesarian. E conseguiu! Estava tudo bem e o Gabriel já estava com seis anos, o que garante (quase garante…rs) que estava tudo já cicatrizado internamente, pronto para um parto normal.

Foi tudo rápido!

A médica, a Dra Mariana Cocuzza foi incrível e a mãe, uma guerreira. Como fez força, viu! Até eu fiquei preocupada, achando que ela desmaiaria de tanto empurrar. Ao contrário do que se pensa depois de um parto cesárea, o parto vaginal foi super rápido! O casal deu entrada às 18h30 mais ou menos e às 23h45 a Luisa nasceu. Super fofa e saudável! Amém! Claro que parto normal tem alguns imprevistos. A mamãe demorou um pouco mais que o normal pra sair da sala de cirurgia. Teve um pouco mais de sangramento que a média dos partos e eu, que sou uma pessoa antes de tudo, disse que o papai poderia ficar lá tranquilo com a mãe, que eu acompanharia o bebê e pegaria a primeira roupinha, já preparando a Luisa para o primeiro banho. Gente, já segurei a mão de gestante no parto. Sou uma pessoa, uma mãe.

Os imprevistos minha conduta numa sala de cirurgia…rs 

Claro que estou lá pra registrar tudo. Praticamente fotografo com os dois olhos abertos pra não perder o que se passa ao redor de mim. E como não posso fazer movimentos bruscos, fico encolhida de olho no pai, na mãe, no médico e no relógio! Note que a hora aparece em vários momentos. Sei como o casal perde a noção do tempo e depois é uma delícia perceber o quão rápido ou devagar foi todo o processo! Eu dou meu jeito!

Faço tudo de acordo com as regras de uma sala cirúrgica e me espremo, mexendo só a cabeça, devagar, pra conseguir fotografar as reações que percebo, como a do pai fazendo força durante o momento da expulsão do bebê! Impagável, né! Faço tudo possível pra eternizar (quase) tudo que eu vejo desse momento tão incrível e único. Se brinco que as festas são 98% improviso, os partos, então… 100% de jogo de cintura! E eu preciso dizer que amo isso. Essa liberdade criativa e a adrenalina que a falta de um script oferece é uma delícia.

Vou então deixar vocês com as fotos desse dia! Dei sorte e cheguei junto com o casal. Olha só a mala de coisas que eles levaram para a maternidade! Hehehe. Eu lembro que até máquina de café eu levei, então não cabe a mim julgar! Ahahahha.

Beijos!!

_N4A0029 _N4A0037 _N4A0044  _N4A0090 _N4A0109 _N4A0112  _N4A0126  _N4A0171_W1A8696_N4A0261_W1A8648_W1A8631_N4A0229_W1A8669_N4A0304_N4A0354  _N4A0411 _N4A0420_N4A0435_N4A0442 _N4A0507 _N4A0626_N4A0751_W1A8744_W1A8798_N4A0838_N4A0729_N4A0723_N4A0861_N4A0896_N4A0920_N4A0932_W1A8903_N4A1182
 
Share this

Related Posts